A RAINHA DAS RÃS NÃO PODE MOLHAR OS PÉS

Davide Cali + Marco Somà

13.50

Uma série de acontecimentos imprevisíveis, onde tanto personagens como leitores estão longe de imaginar o final desta história.

QTD

SOBRE

“Era uma vez um lago, e nesse lago havia rãs. Rãs que passavam os dias a fazer coisas de rãs: saltavam e apanhavam moscas, dormiam sestas ou brincavam com as libélulas”, ao fim e ao cabo, bichos tão parecidos connosco no partilhar da fragilidade das rotinas. Mas a segurança oferecida pela repetição, revela-se afinal sempre débil quando quebrada pelo imprevisto, pela mínima variação do curso natural das coisas. Tal e qual como acontecerá as estas rãs e ao seu mundo, quando algo vindo do céu, PLOC, cai no lago onde vivem e faz com que se juntem os ingredientes necessários para observarmos um jogo de causa e consequência, numa série de acontecimentos imprevisíveis, onde tanto personagens como leitores estão longe de imaginar o final desta história. Bruaá

ACTIVIDADES

 

Detalhes

Autores

Davide Cali + Marco Somà

Formato

178x258mm

Páginas

36

ISBN

978-989-8166-16-6

FOLHEAR

AUTORES

Davide Cali é um dos mais originais e aclamados escritores de livros ilustrados para o público infantil e adulto da actualidade. Nasceu em 1972, em Liestal, na Suíça, e vive em Itália. Começou a sua carreira na revista Linus. Desde 2000 já escreveu dezenas de livros para crianças tendo já sido premiado várias vezes Conhecido pela sua versatilidade e criatividade, o trabalho de Cali passa também pela banda desenhada, teatro e música. As suas obras encontram-se traduzidas em dezenas de países. Com a Bruaá, Davide Cali publicou originalmente "A rainha das rãs não pode molhar os pés" e “Arturo”, o seu 50º livro.

Marco Somà nasceu em Itália no ano de 1983. Depois de estudar na Academia de Arte, decidiu aprofundar o trabalho de ilustração no mestrado Ars in Fabula (Macerata). Trabalha como ilustrador freelancer e dinamiza cursos de pintura e banda desenhada na Academia de Arte de Cuneo. Em 2011, o seu trabalho foi seleccionado para a Feira do Livro Infantil de Bolonha e para o anuário da Associação Italiana de Ilustradores. Em 2012, o seu primeiro livro, “Il bambino di vetro” (O rapaz de vidro), publicado pela Einaudi Ragazzi, foi o vencedor do Prémio Andersen.

CRÍTICA

Ler não implica apenas traduzir o sentido de um livro e sim relacioná-lo com o seu e o nosso património literário, social, histórico e estético. Não nos esqueçamos pois que a história da literatura infantil está plena de obras assim: discretas e consistentes. Andreia Brites, O Bichos dos Livros

Sem nunca perder o pulso de um texto cheio de duplos sentidos (com ecos eduardianos nas ilustrações) este livro é leitura essencial para tempos em que o exercício do pensamento não é tão prezado como seria desejável. Sara Figueiredo Costa, Expresso

“A rainha das rãs não pode molhar os pés” tem tudo para se tornar no primeiro contacto dos mais novos com o universo da política moderna. Pedro Miguel Silva, Rua de Baixo

Categoria:

ERA ALGO PEQUENO E BRILHANTE. ERA UMA COROA.