%
 
 

CÃOPÊNDIO

Tóssan

9.50 8.54

Mais de meio século depois da sua primeira edicão, decidimos dar nova vida a este precioso livrinho da autoria de um artista em nada inho, antes pelo contrário, bastante ão, ão.

QTD

SOBRE

Mais de meio século depois da sua primeira edicão, decidimos dar nova vida a este precioso livrinho da autoria de um artista em nada inho, antes pelo contrário, bastante ão, ão. O livrinho que parecia cãodenado ao esquecimento, à semelhança do seu autor, é um Cãopêndio onde o leitor entra em cãotacto com raras espécies caninas representadas pela característica linha de Tóssan, o cãostrutor desta cómica galeria onde somos mesmo cãovidados a deixar a nossa cãotribuição numa página expressamente deixada em branco para o efeito, algures entre o cãoserva e o cãodeirão. Podem fazer a cãoneta, mas acãoselhamos lápis. Fiquem então na cãopanhia do humor de Tóssan e dos sempre fiéis «amigos cães, responsáveis por esta cão incidência.»

Detalhes

Autores

Tóssan

Formato

128 X163mm

Páginas

72

ISBN

978-989-8166-23-4

FOLHEAR

Autor

António Fernando dos Santos, mais conhecido por Tóssan, nasceu em Vila Real de Santo António, em 1918. Artista verdadeiramente multifacetado, deixou obra na ilustração, pintura, caricatura, poesia e design gráfico. Enquanto ilustrador e designer gráfico, concebeu dezenas de capas de livros, destacando-se a parceria que estabeleceu com o escritor Leonel Neves, ilustrando os seus textos para infância. A partir da década de 40, já em Coimbra, onde foi o caricaturista de centenas de estudantes, colabora intensamente com o Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra (TEUC). Responsável pelos trabalhos gráficos da Embaixada do Brasil em Lisboa entre 1961 e 1964, inicia a partir de 1975 a coordenação do sector de publicações da Direcção Geral de Divulgação. Na imprensa, foi um dos criadores do suplemento juvenil do Diário de Lisboa e colaborou no jornal humorístico “O Bisnau”. Morre em Lisboa em 1991.

CRÍTICA

Cãoboio. Cãotribuição. Cãodeeiro. Cãofiança. Não se assustem, não há por aí um novo – e ainda mais inútil – acordo ortográfico a caminho de Portugal continental, ilhas e outras comunidades. Estas novas, inventadas e muitas engraçadas palavras fazem parte do “Cãopêndio” (bruáa, 2015) de Tóssan, que vem dar voz gramatical ao melhor amigo do homem. Pedro Miguel Silva, Deus me Livro

Cinquenta e seis anos depois, volta a estar nas livrarias Cão Pêndio, uma coleção de trocadilhos sobre caninos, escrita e ilustrada por Tóssan, que, na verdade, se chamava António Fernando dos Santos (1918-1991). Este que foi o único livro que publicou – já edições com ilustrações suas terão sido cerca de duas dezenas – faz rir pequenos e grandes leitores a cada uma das páginas e ainda nos puxa pela imaginação. Gabriela Lourenço, Revista Visão

Categorias: ,

E UM DESSES DISSE UM PALAVRÃO: ÃO - ÃO - ÃO.