A capa do livro promete. Promete muito. O leitor pega-lhe e é quase inevitável que faça uma carinha enternecida, de pescoço à banda: “Oh, parece mesmo uma carta…”. Depois, o interior não desmerece. Cada dupla página fala da Espera, tema central ao longo da nossa vidinha toda. Este livro da editora Bruaá é para toda a família e até para quem não tenha filhos.
Uma metáfora extraordinária dada por um fio que corre, passando de página para página, desde a capa até à página final. Davide Cali, um dos autores, diz: “Fiz sempre banda desenhada e livros humorísticos, mas, recentemente, senti a necessidade de escrever um livro sobre o sentido da vida. Assim nasceu “Eu espero”.
A vida é feita de acontecimentos alegres ou tristes; o mesmo se passa em “Eu espero”: o amor, o casamento, mas também a doença e a morte. Se bem que repleto de emoção, não se pode considerar um livro triste.” E não. Só belo.
Sónia Morais Santos